segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Tão pouco por tanto...

.


«(...) Para escrever o livro "Why Women Have Sex", os autores entrevistaram 1006 mulheres em todo o mundo e conseguiram isolar 237 motivações femininas para o sexo. "Para se promoverem, por dinheiro, por droga, para negociar, por vingança, para recuperar um parceiro que as enganou. Para se sentirem bem. Para fazerem os parceiros sentirem-se mal", explica Meston num artigo do The Guardian.
As razões vão das altruístas às realmente más, contam os autores, que, à volta do mundo, encontraram quem tivesse por motivação transmitir doenças contagiosas.
Já gostar muito de um homem tipo Clooney e acabar casada com um espécime diferente também pode ser considerado um "negócio". Segundo os autores, estes homens tendem a ser infiéis, uma vez que têm uma "agenda genética" diferente das mulheres - querem engravidar o máximo possível de mulheres saudáveis. Trocam-se assim as mais-valias genéticas por exclusividade.
A análise concluiu ainda que uma das motivações mais comuns para o sexo é o prazer físico. As mulheres utilizam depois as relações para expressar amor, conquistá-lo e tentar mantê-lo.
(...)»
(mais aqui)

237 motivações?
Há uma certa tristeza nisso.
Há ambição, há calculismo, há maldade, há ignorância em muitas (de nós) mulheres.
Mas se tantas fazem sexo por tantos motivos diversos do prazer em si... não será porque o prazer que com ele obtêm não é suficiente?

(e se não é suficiente, é melhor não mentir! Marta Crawford aqui)

Sem comentários:

Enviar um comentário