quinta-feira, 29 de outubro de 2009

O Medo da própria LUZ

.

Este texto, da autoria de Marianne Williamson, foi usado por Nelson Mandela no discurso, salvo erro, da tomada de posse:

O nosso medo mais profundo, não é o de sermos indequados.
O nosso medo mais profundo, é descobrir que somos muito mais Poderosos do que pensamos!
É a nossa Luz e não as nossas Trevas, aquilo que mais nos assusta.

Perguntamos a nós próprios :
Quem sou eu para ser tão Brilhante, Interessante, Talentoso e Maravilhoso?
Na verdade, quem és tu para não o seres ?

Tu és filho de Deus, filho da Vida!

Ser medíocre, não vai ajudar em nada o mundo.
Não há nada de brilhante em te diminuíres para que os outros não se sintam inseguros perto de ti.

Nascemos para manifestar a Glória de Deus que está em todos nós.

E quando deixamos a nossa luz brilhar, inconscientemente, damos aos outros a possibilidade de brilhar também.
Quanto mais livres formos, mais livres tornamos aqueles que nos cercam.

(outra tradução livre)

Vamos deixar brilhar a nossa Luz e ensinar às nossas crianças que é um direito delas ser Luminosas.

(mais sobre a auto-estima das crianças aqui)

2 comentários:

  1. Concordo totalmente.
    O potêncial de cada um parase superar e ir tão longe quanto possível é um tesouro ao alcance de qualquer um.
    Lembrá-lo nunca é demais!
    Tem razão.
    Bom fim de semana
    Marta M
    www.domeulugar.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar
  2. Marta
    É como fazemos com as nossas crianças: temos que estar constantemente a repetir e a relembrar até que os conceitos se interiorizem.
    Se não os trazemos da nossa infância, temos que trabalhar nisso agora.
    É triste a "consciência colectiva" de que não devemos sobressair muito porque isso provocará a ira e a inveja alheia. Provoca, sim, e às vezes é assustador...
    Mas não é compactuando com a mediocridade que se contribui para fazer um mundo melhor para nós e para os nossos filhos, certo ?
    Todas as vozes são necessárias -e a sua já foi adicionada... rs

    ResponderEliminar