quarta-feira, 14 de outubro de 2009

A barriga que sacode... o mundo


.

Esta modelo (?) chama-se Lizzie Miller, tem 20 anos e é americana.
A sua foto apareceu na revista Glamour na página 194, e poderia passar despercebida para a maioria dos leitores/as ou até causar certo desdém ou estranheza, por não se encaixar nos padrôes actuais e artifíciais de beleza.

Esqueceram-se de lhe fazer um Photoshop ?!

Mas "esta manhã o assunto contava 866 comentários na página da revista, na sua maioria elogiando as formas da bela modelo. Tudo começou com uma carta enviada a um editor – «estou ofegante de deslumbramento… Adoro a mulher da página 194», escreveu um leitor – à qual se seguiram muitas outras, com o mesmo teor.

Na opinião da jovem, «o facto de a fotografia ter causado tanto burburinho demonstra que é algo que as pessoas precisam de ver. Não estou a tentar promover a obesidade, até porque não sou obesa. Mas também não sou magricelas», argumenta." (mais em Sol aqui)
.


"(...) O que também dá a esta imagem mais poder é o facto de os seios, braços ou parte superior das coxas não chamarem a atenção imediatamente, mas sim a barriga - a área do corpo de cada mulher que inspira mais agonias de auto-aversão que qualquer outra. (...)
Se todas as celebridades com seus personal trainers, personal nutricionistas, personal stylists, cabeleireiros e maquiadores, fotógrafos de classe mundial e peritos de iluminação, não podem ser vistos em fotos sem ser retocadas, do que o resto de nós mortais precisa antes ser considerado aceitável para ser visto em público? Um transplante de corpo inteiro, talvez. "

(tradução livre)
Veja a completíssima reportagem sobre o tema no Mailonline aqui.

Será que é desta que a indústria nos aceita como somos?
Somos nós que temos que nos impôr, afinal!

"(...) Quando Shulman mandou a sua cartinha aos criadores de moda a pedir roupas de tamanho acima, o designer italiano Kinder Aggugini, que trabalhou com John Galliano e Calvin Klein, afastava o ónus da sua profissão. "Se amanhã todas as revistas, agências de modelos e stylists usassem raparigas maiores, então os criadores também o fariam." (mais aqui)

...e já se vêem mudanças:


"Os padrões de beleza no mundo editorial da moda estão em xeque, e as modelos esquálidas parecem estar com os dias contados. Pelo menos nas páginas de duas importantes revistas. A americana "Glamour" e a alemã "Brigitte" anunciaram nesta segunda-feira que suas modelos serão mais próximas do "real".
A revista "Glamour" trará em sua capa de novembro sete modelos nuas acima do peso - pelo menos para os padrões das passarelas. A publicação americana já havia feito sucesso em sua edição de setembro ao colocar a foto de uma modelo com a barriguinha à vista, a americana Lizzie Miller, 20 anos.
Já a "Brigitte", revista feminina mais popular na Alemanha, anunciou que não vai mais exibir modelos profissionais em suas páginas, substituindo-as por mulheres "comuns". A publicação alega que, ao estampar figuras magérrimas, acabou se distanciando de suas leitoras.
Na Semana de Moda de Milão, a adoção de padrões "acima das medidas" já não é novidade. Especialista em roupas de tamanhos maiores, Elena Mirò sempre apresenta suas coleções na fashion week italiana com modelos "plus size".
O desfile mais recente da estilista, ocorrido no dia 23 de setembro, contou justamente com a presença de Lizzie Miller, a mesma que causou polêmica - e também recebeu muitos elogios - ao exibir nas páginas da "Glamour" os "pneuzinhos" salientes."

(fonte Yahoo aqui.)

.Aliás, já existe há muito tempo um culto paralelo às modelos "plus size" e podem ser encontrados no YouTube muitos vídeos como este:

.

A deformação do ideal feminino aqui:
"Mas isto é uma mulher terráquea?"
É caso para boicotar estilistas preconceituosos... aqui, aqui e aqui.
.
(Mas já agora, mais uma dica de dieta, aqui e aqui... rs)

Sem comentários:

Enviar um comentário