sábado, 3 de outubro de 2009

Aquecer ou Esquentar, é preciso tentar


De massagem a strip-tease, há várias opções para tirar o casamento do marasmo. Além de técnicas e terapias, há cursos que buscam elevar a auto-estima e brinquedos que recuperam a leveza da relação e a cumplicidade do casal.

«Reacender o desejo

"Na terapia digo aos casais que têm de arranjar tempo. Aconselho-os a estarem juntos três a quatro vezes por semana, mas quando voltam ao consultório, 15 dias depois, a maioria conta que só conseguiu estar uma vez e que mais é impossível", explica a sexóloga. Só que o tempo a dois é importante. E a comunicação também. "Falar sobre o assunto é fundamental, a falta de desejo pode facilmente tornar-se um hábito", alerta Júlio Machado Vaz. "Deve falar-se sobre o que não está bem, sem ter medo da reacção do outro. A ideia de que o amor adivinha tudo é um mito", acrescenta Marta Crawford. Há que perceber o que se pode melhorar para que o parceiro se sinta melhor. "Mais beijos ou mais carícias, em vez de se partir logo para o coito. Há muitos homens, por exemplo, que não percebem que a mulher precisa de ser tocada", refere a sexóloga.»

(fonte i online, veja mais aqui. A importância do toque aqui.)

E agora vamos dar voz (brasileira) a quem decidiu romper com esse pernicioso hábito:

«Um casamento anulado por falta de sexo virou notícia no mundo inteiro. A história de uma norte-americana que conseguiu a anulação do casamento na Justiça, alegando que o marido não fez sexo com ela nenhuma vez durante dois anos, deixou as mulheres perplexas e receosas.
Para evitar uma separação por falta de sexo e “esquentar” o relacionamento a dois, as mulheres estão recorrendo a ajuda profissional. São cursos, com diferentes abordagens e metodologias, que prometem ensinar massagem sensual, sedução, pompoarismo (técnica milenar de contração voluntária dos músculos circunvaginais), kama sutra, jogos e brincadeiras eróticas, sem contar o indefectível strip-tease. Auto-proclamada pioneira no ensino das artes sensuais, a empresária Nelma Penteado afirma que mais de 1 milhão de alunas passaram por seus cursos nos 14 anos em que atua nessa área, com uma média de 8 mil por mês. “A mulher passou a questionar mais a sexualidade, reivindicar uma relação dentro do que quer. Mas a auto-estima é a base, não adianta aprender uma técnica se não tem uma auto-estima.” Segundo a professora de pompoarismo e segredos da sedução Stella Alves, além do crescente interesse de mulheres por cursos que abordam temas ligados ao sexo, o perfil das interessadas também está cada mais amplo. “No inicio de minha carreira, a maioria das mulheres que freqüentavam meus cursos ia escondida. Hoje, mãe leva filha, sogra acompanha a nora, filho presenteia a mãe, enfim todos estão compreendendo o quanto a sexualidade é importante na vida de todo mundo.”

Conhecendo o orgasmo
Casada há 12 anos, a dona-de-casa Andréia Alves, 33 anos, disse que só começou a sentir prazer depois que passou a praticar técnicas sensuais. “Passei os quatro primeiros anos do casamento sem saber o que era orgasmo. Minhas amigas comentavam, mas eu até evitava entrar na conversa delas.” O curso de pompoarismo foi o primeiro dos vários cursos de sensualidade que Andréia fez com a irmã Stella, depois aprendeu massagem e jogos sensuais. "Aos poucos, comecei a sentir prazer e a dar prazer, passando a ter uma vida sexual melhor. Minha auto-estima também começou a melhorar. Deixei de ser estressada.” “Sempre fui gordinha, por isso, mostrar corpo [no início do casamento] nem pensar. Lingerie nova era inútil. Mas passei a me amar, me aceitar como sou, chamar mais atenção. Sou gordinha ainda, não tenho preconceito do meu corpo, sou uma gordinha sensual. Meu marido estranhou no começo, mas tivemos essa abertura através desses cursos e informações”, disse a dona-de-casa. Ela contou que foi acrescentando novidades à relação aos poucos. “Massagem sensual e tailandesa eu treinava nele [no marido], brincava. Comecei a comprar óleo diferente, creme e ele começou a se empolgar. As coisas estão funcionando lá em casa, tem que fazer para receber, levar novidade para o casamento.” “Com o strip-tease foi mais difícil porque não tinha segurança. Eu já tinha mais auto-estima, mas ficava preocupada com aquelas manobras todas, medo de ele rir de mim. Fui fazendo aos poucos. Num dia dançava um pouquinho e parava. Ele foi admirando meu jeito, minha performance, fazendo brincadeiras. Fui me soltando e deu certo."


Elevando a auto-estima
A dona-de-casa Vanusa da Silva, 25 anos, passou a se ter problemas no casamento após a gravidez, há um ano e meio. “Meu corpo mudou, engordei um pouco e sentia muita vergonha. Não conseguia dormir com meu marido, tinha muito ciúmes dele, fui ficando neurótica mesmo. Para termos alguma intimidade, era com a luz apagada e olhe lá. Até que ele virou para mim e disse que a nossa situação precisava mudar.” Vanusa fez um workshop de um dia inteiro, no início do ano. “Foi maravilhoso porque toca no auto-estima, dá dicas de massagem, de strip-tease. No mesmo dia comprei um cremezinho de chocolate antes de ir para casa e a partir dali começou a melhorar. Agora, sempre faço uma surpresa. A mulher precisa se valorizar. Para mim, melhorou tudo, até minha relação com o resto da família, com minha filha.”

Alguns cursos existentes
Existem vários cursos ligados à sexualidade. (...) Alguns são ministrados por profissionais com formação específica; outros, por professores intitulados autodidatas.

- Massagem sensual/tailandesa: ensina a explorar alguns pontos mais sensíveis do corpo do parceiro, por meio do toque, além de dar dicas sobre como preparar o ambiente e tipos de cremes e óleos usar.

- Intimidade e Jogos Sensuais: discute tabus, crenças limitantes, a sexo verbal, entre tantas outras práticas de sexo e brincadeiras íntimas.

- Pompoar: os exercícios ajudam a fortalecer os músculos pubococcígeo (que sustentam os órgãos internos). Além de desenvolver a qualidade dos orgamos vaginais, ajudam a prevenir o prolapso de bexiga, a incontinência urinária e o afrouxamento da região pélvica, que ocorre com a idade e com partos sucessivos.

- Kama sutra: abordagem sobre o mais famoso livro de posições eróticas existente.

- Mulher diamante - workshops que ensinam a mulher a cuidar de aspectos importantes da vida dela – profissional, sexual, pessoal e espiritual.

- Strip-tease: ensina a arte de tirar a roupa de maneira sensual.»

(fonte G1. Veja aqui e aqui mais dicas para "esquentar" a relação)

E porque não aproveitar o Salão Erótico de Lisboa para umas aulas de striptease e sedução ou sushi erótico, uma consulta com uma sexóloga, adquirir uns brinquedos... ou simplesmente dar um passeio picante com o seu companheiro? (mais aqui e aqui)

.

1 comentário:

  1. MUITO bom o artigo, temos que acabar com os tabus do sexo.parabéns continua a divulgar boa informação.

    ResponderEliminar