quinta-feira, 16 de julho de 2009

Rir é o melhor remédio ?

.
.

Parece que não, na opinião dos directores da Universidade do Minho.

Não gostaram que o Professor Daniel Luís tivesse um blogue de humor.

Sentiram que a sua imagem de Excelentíssimos Senhores Doutores muito mas muito sérios -e espartilhados- foi manchada pela veia humorística, crítica, bem humorada e palerma de um dos seus apêndices.

E como ele não se calou de vez, depois de advertido, cortaram-no fora.

Agora só lhes corre sangue ariano muito mas muito sério nas veias.


Uns chamam-lhe censura, outros retaliação, outros acham que os palermas são eles... rs

Outros resolvem protestar.

Se vocês são dessas, assinem a petição:


http://www.peticao.com.pt/daniel-luis

Hoje é o Daniel Luís, amanhã podemos ser nós, risonhas Poderosas.

Mais detalhes sobre o caso no blogue Dissidências:


http://sol.sapo.pt/blogs/dissidencias/default.aspx

No jornal i online aqui:
http://www.ionline.pt/conteudo/13327-professor-blogger-acusa-universidade-censura
.
e aqui: Bullying no trabalho
.
E no Público:

4 comentários:

  1. Vocês são demais, poderosas, SA...

    Obrigado por este post!

    Parabéns pelo vosso projecto e desejo-vos umas férias boazonas para todas ;)))


    Beijinhos dissidentes

    ResponderEliminar
  2. «O riso é uma das coisas mais reprimidas pela sociedade em todo o mundo, em todas as eras.
    A sociedade quer q você seja sério. Os pais querem q os filhos sejam sérios, os professores querem q os alunos sejam sérios, os patrões querem q os empregados sejam sérios, os comandantes querem q os exércitos sejam sérios. A seriedade é requerida por todos.
    O riso é perigoso e rebelde. Quando o professor está a ensinar-lhe algo e você começa a rir, isso será tomado como um insulto. Os seus pais estão a falar consigo e você começa a rir, isso será tomado como um insulto. A seriedade é sinónima de honra, de respeito.
    Naturalmente, o riso tem sido tão reprimido que, apesar de a vida ser hilariante, ninguém se ri. Se o seu riso for libertado das suas correntes, do seu cativeiro, você ficará surpreendido – a cada passo q der, há qualquer coisa hilariante a acontecer.
    A vida n é séria.
    Só os cemitérios são sérios; a morte é séria.
    A vida é amor, a vida é riso, a vida é dança, é canção.» p.178

    «Nos velhos tempos, havia um grande tolo em cada corte real – o bobo da corte. Ele era uma força de equilíbrio, porque demasiada sabedoria pode ser uma tolice, qualquer coisa em demasia pode ser uma tolice. Era preciso alguém que tivesse os pés bem assentes na terra. Era preciso um tolo nas cortes dos reis q os ajudasse a rir, caso contrário as pessoas sábias têm tendência para se tornar sérias, e a seriedade é uma doença. Por causa da seriedade, perde-se o sentimento de proporção, perde-se perspectiva. Por isso, todas as cortes reais tinham um tolo, um grande tolo, que dizia coisas e fazia coisas e trazia as coisas de volta a este planeta."

    OSHO (A Vida, o Amor e o Riso)

    ResponderEliminar
  3. Gostei... é mesmo deste apoio que o nosso Daniel Luís precisa...
    Juntos (por ele) conseguiremos a Liberdade de Expressão para todos.

    Parabéns pelo blog e recomendo que continuem a fazer este excelente trabalho ;)

    Alguém que pensa ter sentido de humor:
    Gui.tattoo

    ResponderEliminar
  4. Gui
    Este é um tema que tem que ser discutido e é bom aproveitarmos o caso do Daniel Luís, que conseguiu protagonismo, justamente para defender aqueles que não têm como o conseguir.

    Direito ao Humor para todos! rs
    E um novo e verdadeiro caminho para o Daniel.

    Obrigado, parece-me que você também tem sentido de humor, sim...rs

    BrancaAurora

    ResponderEliminar