terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Gratidão e Abundância


 Oliveira Fidelis Filho


Na área da psiconeuroimunologia, cresce a convicção de que as emoções, crenças, formas-pensamento, valores (o nosso "mapa" do mundo) têm efeito determinante no funcionamento do corpo. Ao optarmos pela gratidão como filosofia de vida, como prática constante, presenteamos a nós mesmos com uma vida mais feliz, saudável e bem sucedida. A gratidão gera ondas de vibração positiva deixando-nos afinados com o universo, com a nossa essência divina, proporcionando harmonia interna e externa, gerando cura e rejuvenescimento. A gratidão, como modo de ser, lembrando a Dra. Sharron Stroud, começa a se manifestar como arte e ciência da bênção.

No solo fertilizado pela gratidão, é impossível encontrar preocupação, raiva, depressão ou emoções negativas. Há uma nítida diferença entre os que vivem alimentando-se de amargura e os que vivem movidos por gratidão. Há um revigorante poder na gratidão, também na medida em que libera endorfinas, fortalecendo o sistema imunológico. Quando a gratidão se transforma em estilo de vida, abrem-se as portas para a felicidade e a saúde.

Não foi por masoquismo que São Paulo recomendou "em tudo dai graças"; há razões óbvias nesta orientação. E não tem a ver, necessariamente, com nos tornar aptos para ir para o céu e sim com tornar-mo-nos mais felizes e eficientes aqui na Terra. O apóstolo Paulo, constantemente submetido a duras privações e grandes obstáculos, sabia que o antídoto contra o veneno da amargura é a gratidão; por experiência percebia que não há como ser grato e infeliz ao mesmo tempo. Sabia que a prática da gratidão o libertava do pensamento negativo, da dúvida, do cinismo, do comodismo resignado e covarde, ao mesmo tempo em que o transportava para a dimensão criativa onde o amor, a fé e a esperança habitam. 

Temos de, conscientemente, injectar no cérebro doses maciças de gratidão todos os dias e várias vezes por dia. Ao agirmos assim, perceberemos que mesmo um período doloroso pode receber uma leitura nova e positiva, abrindo-se a múltiplas possibilidades. A vida expande-se e floresce na gratidão, podendo também retrair-se e murchar na ausência dela. Um coração fechado bloqueia o acesso à fonte da a felicidade, à manifestação de Deus em nós, interrompe a linha de transmissão da energia criativa que vem do Criador.

O universo enamora-se da gratidão. Quanto mais gratos formos mais motivos para sermos gratos teremos. A gratidão é a senha que nos permite o acesso aos tesouros da abundância; em contrapartida, a falta de gratidão e as queixas tornam as fontes de regozijo cada vez mais secas.

Durante muitos anos tive dificuldade em aceitar presentes, o que acabei por perceber tratar-se de baixa auto-estima e orgulho velado. Hoje, ao ser presenteado, gosto de dizer que aceito com gratidão e alegria. Percebo que ao agir assim coloco-me como alvo da generosa Providência.

O universo sempre nos dá mais daquilo em que nos concentramos. Há um princípio aceito de que aquilo que focamos se expande. Jesus declarou: "Porque a todo o que tem lhe será dado, e terá em abundância; mas o que não tem, até o que tem lhe será tirado". À primeira vista tal declaração soa muito dura, parece injusta; entretanto, ela faz justiça aos princípios que regem o universo. O que Ele diz é que a abundância, antes de ser plasmada no tempo e no espaço, deve existir como forma-pensamento, como sentimento de gratidão pela abundância, implicitamente. Para Ele, pessoas que se alimentam de crenças negativas em relação à abundância e à prosperidade, colhem os frutos destas crenças.

A parábola dos talentos, onde se encontram as palavras de Jesus citadas, referem-se a três personagens, três formas de lidar com o que a vida disponibiliza. O terceiro personagem, que recebeu um talento, representa os que crêem num Deus amedrontador, severo, vingativo, que julga, condena e inibe a iniciativa humana. É do tipo que diz "fazer o quê, temos que nos conformar, é a vontade de Deus..." e, de posse desta crença vive a enterrar o potencial nele existente. Os outros dois no entanto, são movidos pelo dinamismo, criatividade e flexibilidade que a gratidão proporciona, vivendo para multiplicar o que lhes foi dado.

A gratidão nada tem a ver com comodismo ou resignação frustrada, ao contrário, é um poderoso combustível para a acção. A partir da plataforma da gratidão é que se lançam os destemidos projectos de fé. Jesus estava portanto a ensinar a importância de nos concentrarmos no que temos e no que verdadeiramente desejamos, em vez de focarmos e relembrarmos o que nos falta. Se focarmos no que nos falta, o que nos falta será o que na verdade teremos. Portanto, se não abrigarmos pensamentos e sentimentos de abundância, corremos o risco de ter cada vez menos.

Tal afirmação de Jesus remete-me a uma história que li no livro "GRATIDÃO, UM ESTILO DE VIDA". O autor do artigo que contém a historia, Alan Cohen, descreve-a assim: "Ouvi falar de uma mulher chamada Sarah, que se encontrava deitada na cama de um hospital depois de ter sofrido um acidente, profundamente deprimida e incapaz de mexer qualquer parte do seu corpo excepto o dedinho de uma mão. Sarah decidiu então, que faria uso do que tinha, em vez de se lamentar pelo que não tinha. Começou então a abençoar o único dedo que podia mexer e acabou desenvolvendo um sistema de comunicação, baseado em sim e não com esse dedo. Sarah tornou-se agradecida pelo fato de se poder comunicar e assim sentiu-se mais feliz. Na medida em que ela abençoou o movimento, a sua flexibilidade aumentou. Dentro de pouco tempo Sarah conseguia mexer a mão, depois o braço e, finalmente, o corpo todo."

 A radical alteração no corpo de Sarah teve início quando, em vez de uma atitude crítica e queixosa, ela passou a alimentar-se de abençoada gratidão. Entre as dietas alimentares que proporcionam saúde e longevidade, gostaria de propor mais uma à base de generosas e enriquecidas porções de gratidão diárias.

Lembrando Milady Bertie: "A gratidão desbloqueia a abundância da vida. Ela torna o que temos em suficiente, e mais. Ela torna a negação em aceitação, caos em ordem, confusão em claridade. Ela pode transformar uma refeição num banquete, uma casa num lar, um estranho num amigo. A gratidão dá sentido ao nosso passado, traz paz para o hoje, e cria uma visão para o amanhã."

Estamos a viver mais uma vez, a experiência da "passagem de ano". Que a vivamos com gratidão, com alegria e com prazer. Será também oportuno, juntamente com os novos projectos, promessas e propósitos pessoais, concentrar-mo-nos no que temos, no que funciona, no que não precisamos pedir. Deixar-nos embriagar de gratidão, além de não provocar ressaca, abrirá as portas para o caminho da abundância. 



(fonte SOMOS TODOS UM)

Mais 10 passos para um bom 2011, aqui

Trate o seu novo ano como um bebé: Oh baby... 





(vídeo descoberto através de Abraâo Rafael)

Sem comentários:

Enviar um comentário