quinta-feira, 6 de maio de 2010

Gosto de ti ou Amo-te ?

.

amar e gostar

“…ao fim de mais de 50 anos de vida, cheguei finalmente à conclusão que existe uma diferença abismal entre o GOSTAR e o AMAR... demorei este tempo todo a gostar e a amar sem saber que era diferente, sem saber que GOSTAR não é a mesma coisa que AMAR... vivi profundamente o GOSTAR sem me aperceber que não estava a AMAR... vivi profundamente o AMAR sem me aperceber que não estava a GOSTAR... é, na verdade, no mínimo, estranho... como é que alguém que gosta, não ama ou como é que alguém que ama, não gosta?... penso que pouco se terá pensado ao longo das nossas vidas sobre esses sentimentos, pois de sentimentos se trata, na medida em que sempre se usou (as pessoas usam) o termo :- “Eu gosto de ti” muito identicamente ao termo :- “Eu amo-te”!... só que há uma diferença enorme entre essas duas frases… explicar a diferença poderia levar-me a fazer um “tratado” ou um “ensaio” filosófico sobre a questão, já que essa diferença só a entendi ao fim deste tempo todo de vida… talvez por nunca ter pensado nisso, ou se calhar pensei e não me lembro de ter pensado... mas a verdade é que julgo que nunca ninguém se debruçou, se debruça ou se debruçará sobre esse tema… ao fim e ao cabo, então “gostar” não é “amar” e vice-versa?... não, não é a mesma coisa... muito rápida e sucintamente, vou tentar explicar o meu ponto de vista e, como é lógico, colocar o mesmo à discussão... basicamente, a conclusão final é que: GOSTAR é tirar!... AMAR é dar!... quando é que se diz, eu gosto deste coelho assado?... quando se “tira”, para nós, o prazer fantástico daquele coelho ali no prato à nossa disposição… eu gosto deste coelho assado porque ele ME DÁ prazer, logo eu TIRO algo daquele prato… quando é que se diz, eu gosto muito de ti?... quando se “tira”, para nós, dessa outra pessoa, aquele prazer que ela NOS DÁ aquilo de que gostamos nela, logo TIRAMOS algo dela… quando se gosta de algo estamos a obter uma “resposta” que faz com que haja um sentimento de obtenção de algo desse outrem... eu gosto muito dos meus filhos porque eles me dão o prazer imenso de os ter, de os ver, de estar com eles, de os abraçar... AMAR... amar é o contrário, não é tirar prazer de alguém mas, pelo contrário, é DAR algo a alguém… amar é DAR no sentido mais lato da palavra… dar-me a outrem, colocar-me à disposição desse alguém, fazer com que esse alguém TIRE de nós o que quiser... eu amo muito os meus filhos porque sou capaz de me dar, de me entregar, para que eles tirem algo de mim... amar é estar disposto a... amar é uma entrega total... amar é sentir que não somos nossos mas sim de alguém... gostar é tirar algo de alguém... amar é dar algo a esse alguém... e é na conjugação destes dois sentimentos, entre o DAR e o TIRAR que alguém pode obter a felicidade com outrem... ninguém é feliz com alguém se só gostar ou se só amar... é como no jogo do tira e põe... uma troca... uma partilha... um estar na “frequência” do outro dando algo e retirando algo, partilhando, ganhando, perdendo... assim, dessa forma, dai e amareis, retirai e gostareis…”

3 comentários: