domingo, 31 de maio de 2009

COMO AMAR E SER AMADO

.



Por Soraya F Mariani
.
Com este artigo pretendo levá-lo a despertar o processo de reflexão sobre as causas da baixa auto–estima e possibilitar caminhos para melhorá-la.
Auto-estima, do verbo "estimar" que vem do latim oestimare, "avaliar", cuja significação é dupla: a um só tempo, "determinar o valor de" e "ter uma opinião sobre". Esse olhar-juízo que lançamos sobre nós mesmos é vital para o nosso equilíbrio psicológico. De acordo com o estudo de diversos teóricos da área de psicologia a auto–estima compõe-se de três "ingredientes":
.
O amor a si mesmo
É o elemento mais importante. Estimar-se implica avaliar-se, mas amar-se não está sujeito a nenhuma condição: amamo-nos independentemente de nossos defeitos e limites, fracassos; simplesmente porque acreditamos que somos importantes e que fazemos parte da "Centelha Divina". Este amor deve resistir aos medos e fracassos, deve ser "incondicional". Ele nos ajudará a nos recompor após um fracasso. Não impede o sofrimento, mas protege contra o desespero. Amar a si mesmo é a base da auto-estima, seu componente mais precioso e profundo.
.
A visão de si mesmo
O importante neste "ingrediente" é a forma como vemos e lidamos com a nossa luz e sombra, o sucesso e o fracasso, a qualidade e o defeito. Não se trata apenas de autoconhecimento, mas a convicção de que somos importantes e podemos sempre melhorar.Quando temos uma visão positiva de nós mesmos, despertamos uma força interior que nos permite lidar com as situações de adversidade.Esse olhar que lançamos sobre nós mesmos, o devemos ao nosso círculo familiar e, em especial, aos projetos que nossos pais idealizam para a gente. Em certos casos, o filho é encarregado inconscientemente pelos pais de fazer aquilo que eles não puderam realizar na vida.
.
A autoconfiança
Estar confiante é pensar que se é capaz de agir de maneira adequada nas situações mais diversas. A autoconfiança é a forma como nos comportamos em situações novas e imprevistas, nas dificuldades da vida, em novos projetos. A autoconfiança é o resultado, é uma conseqüência do amor a si mesmo ou a visão de si mesmo.A autoconfiança vem principalmente da forma como fomos educados na família ou na escola.Não temer excessivamente o desconhecido e a adversidade indica um bom nível de autoconfiança.
.
A boa dosagem de cada um desses três componentes é indispensável para obtenção de uma auto-estima harmoniosa. Segundo Christophe André e François Lelord no livro "Auto-Estima, amar a si mesmo para conviver melhor com os outros": "... desde Freud, o pai da psicanálise, descobrimos que a forma como a gente se vê – e se gosta ou não do que vê – é vital para o nosso equilíbrio psicológico. A pessoa que ama a si mesma está segura de que tem valor e merece ser feliz. Sente-se capaz de ser amada pelo que é e não pelo que realiza ou tem. O que alimenta a auto-estima não é o sucesso, mas uma visão positiva de si mesmo. Auto-estima é sentir-se bem dentro da própria pele". Eu me amo, logo, existo.
.
Como desenvolver a auto-estima?
Devemos, a priori, acreditar! Saber que é possível melhorar a nossa auto-estima.
.
A primeira "regra" é conhecer-se. "Conhece-te a ti mesmo", costumava lembrar Sócrates. Esta é a primeira regra da auto-estima. Tome consciência de suas capacidades e limites. Aceite as fraquezas e dê "cor" ao seu auto-retrato.
.
A segunda "regra" é aceitar-se. Seus limites e defeitos foram identificados. Qual o problema? Não é necessário ser uma pessoa sem defeitos para ter boa auto-estima, mas ser capaz de assumi-los ou modificá-los.
.
A terceira "regra" é ser honesto consigo mesmo. Aceite as suas emoções, confesse que tem medo ou que está triste. Fale com seu sofrimento, dê-lhe colo, não minta para si mesmo.
.
A quarta "regra" é agir. Para mudar é preciso agir. Faça algo que o deixe feliz, respire, ame, brinque, escreva um diário, torne-se especialista em fazer coisas que o deixem feliz.
.
A quinta "regra" é silenciar o crítico interior. Mande embora os pensamentos críticos que não são construtivos. Brigue com você quando exigir demais de sua capacidade.
.
A sexta "regra" é aceite a idéia de fracasso. "O fracasso é um pedaço da vitória". Ninguém gosta do fracasso, porém, às vezes ele é necessário para que possamos "acordar" em alguma situação. Lembre-se: todo mundo já fracassou um dia; sendo assim, aprenda com os fracassos.
.
A "regra" número sete é afirmar-se. Seja capaz de expressar o que você pensa, o que você quer, o que está sentindo, mas sempre respeitando o que o outro pensa, quer e sente.
.
A "regra" número oito é ser empático. A empatia é a capacidade de escutar e sentir o ponto de vista dos outros, de procurar compreendê-lo e respeitá-lo, mesmo que não estejamos de acordo. A verdadeira empatia é um poderoso instrumento no desenvolvimento da auto-estima. Ela nos permite ficar perto dos outros e sermos apreciados por eles. Permite-nos igualmente que nos afirmemos com mais facilidade: as pessoas nos escutarão de bom grado se nos mostrarmos capazes de ouvir o que elas têm a dizer.
.
A "regra" número nove é buscar apoio social. O apoio social é constituído pelo conjunto de relações que estabelecemos com as pessoas de nosso círculo e pela ajuda que daí retiramos. Essa troca com o outro é essencial para a auto-estima.
.
Preparado para mudar? Muito bem! Acredite: só pelo fato de você estar lendo este artigo já faz a diferença!
.
Reflexões sobre auto-estima
Quem sou eu? Quais são as minhas qualidades e defeitos? Do que sou capaz? Quais são meus êxitos e fracassos, minhas competências e meus limites? Qual é o meu valor, aos meus olhos, aos olhos dos meus familiares, aos olhos das pessoas que me conhecem?
.
Eu me vejo como uma pessoa que merece simpatia, afeição, o amor dos outros ou, ao contrário, duvido freqüentemente de minha capacidade para ser amado e apreciado? Estou conduzindo minha vida como gostaria? Meus atos estão de acordo com os meus desejos e minhas opiniões ou, ao contrário, estou sofrendo por causa do fosso que existe entre o que eu gostaria de ser e o que sou? Estou em paz comigo mesmo ou, em geral, insatisfeito?
.
Quando foi a última vez que me senti decepcionado comigo mesmo, descontente, triste? Quando me senti orgulhoso de mim, satisfeito, feliz?
.
Reflita sobre suas respostas. Decida fazer algo para se tornar uma pessoa mais feliz! Você tem este poder, então USE-O!!!
.
.

(do site SOMOSTODOSUM, que recomendamos vivamente: http://somostodosum.ig.com.br/clube/artigos.asp?id=7665 )
.

Sem comentários:

Enviar um comentário